Ela não lembra mais quando foi a última vez. Ontem vi que ela jogou fora aquelas caixas de lembranças que ela teimava em guardar, caso necessitasse lembrar algum detalhe que lhe parecesse duvidoso. Um dia essa hora iria chegar – demorou, quase apodreceu – e chegou.

Não sofre – sei que não vai – mas ela cansou de esperar igual a Cláudia, que sentou ali até criar raízes e se sentir parte da mobilha velha daquela sala (com pouca iluminação e cheiro de mofo).

Ela descobriu hoje, aos 45 do segundo tempo, quando completou um quarto de século, que ela não precisava mendigar o amor de ninguém. Ela cansou.

Cansou de esperar até o dia seguinte, depois de incansáveis perguntas sem respostas. Ela cansou de perguntar o que havia de errado. Cansou de pesquisar novos temperos na esperança de agradá-lo. Cansou de adaptar-se a novas músicas e decorá-las, com a finalidade de impressioná-lo.

Ela não gosta de rock, sinceramente ela odeia aquele cara gritando aquelas coisas que ela não entende e nem acredita. Ela nunca gostou de champanhe, prefere mil vezes uma caipira azeda – daquelas que trazem caretas de “cão chupando manga” – do que passar aquelas tardes a beira da piscina com as namoradas dos seus amigos. Tão fúteis.

Ela nunca quis fazer aquele curso de inglês, mas depois de você, ela ouvia falar muito que “pra crescer na vida a gente tem que ter inglês”, então resolveu fazer um “intensivão”, na esperança de crescer na sua vida. Pelo menos hoje ela fala algumas míseras 3 línguas.

Ela não gostava daquelas jantas, as quais deveriam comparecer em todas as semanas, onde o assunto era somente a vida alheia, que ela respondia com sorrisos amarelos e com “pois é”. Ela nunca gostou disso.

Sem contar da sua mãe, aquela vaca disfarçada de sogra, que só faltava dormir no meio de vocês quando lhe dessem alguma oportunidade. Que castigo que ela se livrou!

Ela cansou de esperar por você, enquanto tentava ser quem você queria que ela fosse, sem notar que a cada dia se distanciava mais de quem ela era.

Definitivamente, ela cansou de vê-lo ir, vê-lo chegar e nunca vê-lo ficar. Cansou de esperar até que você decida se vai ou não procurar algum coração no próprio corpo, nesse corpo sem futuro – e tão másculo– assim.

Ela cansou de você. Ela não te quer mais.

Chega, ela não tem mais tempo pra esperar por alguém que não vale – o que come – um minuto do tempo perdido.

Então ela jogou fora. Caixas, lembranças, orgulho, vergonha. Nesse dia ela deixou de lhe querer, meu amigo.

Hoje ela não vai mais embora pensando no que poderia ter feito, não quer esperar o dia seguinte, muito menos alguém. A gente nem sabe se chega ao final do dia. Ela é que não vai arriscar acertar.

Ela cansou de esperar por quem não sai do lugar, cansou de ter calma. De guardar vontades naquelas caixinhas escondidas atrás do armário. De engolir palavras que deveriam ter sido ditas há muito tempo – pintadas em placas de motel com verde fosforescente – como aquele te amo, disfarçado de “te curto”.

Hoje, ela quer alguém pra pegar na mão, levar pra qualquer lugar não convencional.

Quer levar pra jantar e depois pra sentar naquele sofá marcado em um canto só, devido aquela solidão dos últimos tempos. Quer cozinhar qualquer comida com temperos em excesso, pra ter com quem comentar que aquela gororóba não dá nem pra comer (tipo aquela tia feia que ninguém comeria, mesmo se fosse a última mulher do mundo), nem pensar.

Quer alguém pra chamar pra sair, pra ir ao cinema, pra caminhar na rua sem destino, passar a madrugada acordada com alguém jogando conversa fora, sem ser interpretada como atirada ou “mais macho que muito homem”, mesmo que seja. Ela só quer poder tomar aquela atitude que ela tem guardada já faz algum tempo, sem ter que seguir pela risca do que todo mundo espera dela.

Afinal, é claro que ela quer encontrar outro alguém, mas, por favor não espalha.

Porque todo mundo sabe que é uma grande mentira esse papo de que todo mundo sabe se virar sozinho.

No final das contas, todo mundo quer alguém pra passar aquelas longas madrugadas chatas sem dormir, devido aquela vontade insana de viver o hoje, sem ter que esperar pra amanhã.

Listen without defending; speak without offending. Cite Arrow TheDailyPositive.com (via thedailypozitive)

Pra que isso? Porque?
Nada faz sentido se tudo se esvai numa inconstânciazinha idiota.
A inconstância sempre foi.

(via letitcome--letitbe)

Maybe a relationship is just two idiots who don’t know a damn thing except the fact that they’re willing to figure it out together. Cite Arrow (via c0ntemplations)

(via letitcome--letitbe)

I’m so fucking sick of saying I’m sorry when I’m the one collapsed on the ground. Cite Arrow (via ckgarden)

(Source: mental-slut, via letitcome--letitbe)

imgfave:

See more in Quotes

imgfave:

See more in Quotes

imgfave:

Posted by mistymorrning

imgfave:

Posted by mistymorrning

Por vezes me pego pensando. Me pego sentindo. Me vejo sorrindo. Me encontro feliz. Uma alegria morna confortável, que aquece por dentro o peito. Uma felicidade tranquila. Daquelas que são tão difíceis de conseguir. Intensidade demais é efêmera, e essas também eu tenho. Mas passam rápido. O que fica é essa tranquilidadezinha feliz, que enche o peito e abraça o corpo todo.
Que delicia é abraçar. E encontrar com tanta facilidade esse lugarzinho lindo que fica debaixo dos seus braços e no peito seu. Meu. Meu lugar.
Descrevo com detalhes sensações e sentimentos, o lugar exato onde se encontram justamente porque eu já os conheço tão bem. Tão bem. Se fecho os olhos, já sinto o toque do seu peito sob o meu rosto, seu cheiro, meu cheiro, o som da respiração que me nina, e o calor do seu corpo que para mim é tão confortável. Durmo tranquila do seu lado. Me sinto segura na sua presença. Fico feliz por tantos motivos.

Engraçado isso né. Curioso.
Tão pouco tempo, e por coisas que você fez, já é o dono de todas as coisas minhas, que agora são suas também. Por direito conquistado. Por ter vindo e tomado. Porque sempre foi seu e ninguém sabia. E como haveria de saber.
Quem haveria de imaginar um dia assim. Isso assim. Tão assim.
Ninguém afirmo. Nem você, menos eu.

E no meio de tanto caos, finalmente encontro a tal da segurança fora de mim que eu pensava não existir. Em meio a tanta coisa, tantos lugares, tanto mundo, tanta gente e você aí, com essa naturalidade de quem já viveu tantas outras vidas, me abaixa todas as guardas e por esse momento então já não quero mais nada. Me rendo enfim.

Por vezes me pego admirando tanta sintonia. E atenção e zelo. São detalhes, que pra mim não são detalhes. E vejo todos eles, refletidos em uma atençãozinha linda, segundos que você perde pra me mostrar os meus detalhes.. E me rendo enfim.

To feliz.

Da vida não quero nada. Quero o mundo, quero o amor, a apreciação, a simplicidade, boa comida, conforto na alegria, riso dividido, e amor. Na essência do que significa.

(Source: sugarr-lace)

girlwithapen:

NEED THIS.

girlwithapen:

NEED THIS.

NHOOOOOOOOOMMMMMMMMMMMMMMM

(Source: nicol93rih)

(Source: edward-westwick)

(Source: reddit.com, via typical)